Web Content Viewer (JSR 286)

Ações
Carregando...

Central de notícias

|

Luta pela vida e pela liberdade

A memória dos irmãos Betinho, Henfil e Chico Mário permanece viva
Publicado em 06/09/2019 às 14:54Atualizado em 06/09/2019 às 14:54

Betinho, Henfil e Chico Mário eram três irmãos hemofílicos que lutavam pela sobrevivência e conquistaram sucesso profissional na sociologia, no humor e na música, respectivamente. São personalidades que contribuíram de maneira ativa para o processo de redemocratização do Brasil. Os irmãos são considerados símbolos da luta pela liberdade.

Henfil foi o criador do bordão “Diretas Já!” e usava o seu humor crítico e audacioso para lutar pela democracia. O cartunista foi um importante militante contra a ditadura militar no Brasil e trabalhou nas revistas Realidade, Visão, Placar, O Cruzeiro e O Pasquim. Em 1970, criou a revista humorística Fradim.

O sociólogo Betinho foi um defensor dos direitos humanos. Em 1980, criou o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase). Mais tarde, em 1993, fundou a Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida. Foi um dos primeiros intelectuais a defender as ONGs e um dos fundadores da campanha nacional pela reforma agrária.

Já Chico Mário usava o seu talento musical em prol da música independente e da justiça no país. Ele foi um dos pioneiros do disco independente no Brasil e o primeiro artista a utilizar o crowdfunding, ainda na década de 1980. Em agosto de 2018, o Sesc Palladium e o Instituto Cultural Chico Mário realizaram uma homenagem ao músico, que naquele ano completaria 70 anos de vida. Foram realizadas sessões de debates e exibições de filmes, além do Prêmio Chico Mário de Violão.

A vida dos irmãos foi a base para o documentário Três irmãos de sangue. Lançado em 2006, o filme foi dirigido por Ângela Patrícia Reiniger, com idealização e direção musical de Marcos Souza, filho de Chico Mário. Foi vencedor do prêmio de melhor filme no 5º Cine Fest Petrobras Brasil, em Nova York, após votação em júri popular, além do prêmio de melhor roteiro no Festival de Goiânia e no Recine – Festival Internacional de Cinema de Arquivo.

Com toda essa relevância político-histórica para o país, Três irmãos de sangue inspirou o espetáculo Consanguíneos, que se realizará no Sesc Palladium em 15 de setembro, domingo, às 11h, no Grande Teatro, com a Orquestra Ouro Preto e a atriz Bárbara Paz. O concerto é uma realização do Sesc em Minas, por meio do projeto Domingos Clássicos. Não perca!