Web Content Viewer (JSR 286)

Ações
Carregando...

Central de notícias

|

Mantendo a tradição das manifestações culturais

‘Sesc nas Festas Populares’ vai a Januária celebrar a cultura local
Publicado em 17/10/2019 às 11:44Atualizado em 17/10/2019 às 13:07

Preservar e valorizar as manifestações culturais tradicionais do estado faz parte da política de cultura do Sesc em Minas. Pensando nisso, o projeto Sesc nas Festas Populares viaja Minas Gerais celebrando as manifestações culturais locais e incentivando preservação de sua memória. Nos dias 24 e 25 de outubro, Januária, no Norte de Minas, recebe o projeto, que irá realizar na cidade um Cortejo Cultural com apresentações de danças tradicionais, folias de reis e cantorias e uma oficina de pintura retratando a arte barraqueira. A programação é gratuita.

SOBRE O ‘SESC NAS FESTAS POPULARES’
Com o intuito de preservar e valorizar as manifestações culturais tradicionais de Minas Gerais, o Sesc nas Festas Populares fomenta o acesso a aspectos que enriqueçam e mantenham viva a cultura do estado. O intuito é promover e estimular discussões sobre a difusão das artes e da produção artística, respeitando os símbolos e crenças de cada região, além de estimular a pesquisa, criação, preservação e experimentação da diversidade cultural, convidando artistas, produtores, agentes culturais e outros profissionais que contribuam com o potencial de transformação social por meio do desenvolvimento.

Confira abaixo as atividades e participe!

24/10 | 18h30
Cortejo Cultural
Concentração: Casa de Memória
Término: Praça Tiradentes
Grupos participantes: Ternos Temerosos, A Vida é Bela, Reis de Boi da Rua Bem Bom, Baobá- Maculelê, Ternos dos Reis dos Figueiredos e Grupo de São Gonçalo.

24/10 | 19h30
Apresentações de danças tradicionais, folias de reis e cantorias
Local: Praça Tiradentes
Grupos participantes: Ternos Temerosos, A Vida é Bela, Reis de Boi da Rua Bem Bom, Baobá- Maculelê, Ternos dos Reis dos Figueiredos e Grupo de São Gonçalo.

24 e 25/10 | das 14h30 às 17h30
Oficina de pintura: Retratando a arte barranqueira
Instrutor: Waldecir Guimarães
Local: Unimontes (rua Sertaneja, 212, Vila Fatima)
Inscrições: gratuitas, na Central de Atendimento do Sesc Januária (av. Aeroporto, 250, bairro Aeroporto) ou pelo telefone (38) 3629-4950
Vagas: 25
Público-alvo: estudantes, artistas plásticos e público em geral, a partir de 10 anos.
Sinopse: A oficina para realização de pintura em tela retratando as riquezas culturais da região.

SOBRE OS GRUPOS

Ternos Temerosos: Ternos dos Temerosos ou Reis dos Cacetes é uma marujada de água doce, tradicionalmente dançada pelos pescadores, como o seu criador. O grupo foi criado em Januária, na década de 1930, por Norberto Gonçalves dos Santos (Berto Preto). Remota à luta de conquista da Península Ibérica, no século VII D.C, quando um grupo de guerreiros menos abastado lutavam com varas ao invés de espadas e armaduras. A sua crença e a sua honra eram defendidas com as suas varas. Eles também lutavam pelo seu território.

A Vida é Bela: Os versos das canções das lavandeiras retratam elementos da religiosidade e da diversidade cultural do povo brasileiro, ressignificando o cotidiano e o trabalho das mulheres ribeirinhas. Batendo roupas e cantando a vida, eram assim que as mulheres de todas as idades, ribeirinhas, pescadoras, vazanteiras e donas de casa, lavavam as roupas nas águas de ‘Velho Chico’. Foi iniciativa foi criada pela necessidade de manter todas, resgatando e vivenciando a cultura local.

Reis de Boi da Rua Bem Bom: O grupo de Reis de Boi da Rua Bem Bom iniciou no ano de 2002. Os integrantes são crianças, jovens e adolescentes de várias partes da cidade. São várias pessoas que se unem para um único propósito: a paixão pelo Reis de Boi da Rua Bem Bom. Atualmente são mais de 30 integrantes.

Baobá-Maculelê: O Maculelê surgiu em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano, cidade marcada pelo verde dos canaviais, terra rica em manifestações da cultura popular de herança africana e berço da capoeira baiana. O Maculelê é uma dança de forte expressão dramática, destinada a participantes do sexo masculino, que dançam em grupo, batendo as grimas (bastões) ao ritmo dos atabaques e ao som de cânticos, em dialetos africanos ou em linguagem popular. Em Januária, ele chegou no início dos anos 1980, por iniciativa de uma historiadora que tomou conhecimento da riqueza do patrimônio histórico cultural da cidade e ficou encantada, promovendo uma ação educativa no sentido de resgatar as tradições artísticos culturais.

Grupo de São Gonçalo: Criado em 1978, o grupo já participou de apresentações em diversas cidades de Minas Gerais, como Januária, Itacarambi, Montes Claros, Belo Horizonte, Riacho da Cruz, São Gonçalo do Rio Preto.

Ternos dos Reis dos Figueiredos: O Terno dos Reis dos Figueiredos surgiu no século XIX, quando era intenso o transporte fluvial pelo Rio São Francisco - ligando o município de Pirapora/MG, a Juazeiro/BA e Petrolina/PE. Foi então que a dona Carolina Figueiredo (Dona Calú Figueiredo), uma decidida nordestina, natural de São João de Boa Vista, vendeu tudo o que possuía e subiu o Rio São Francisco, parando em Januária/MG. Para fugir da fome, fez uma promessa, para Santos Reis de organizar uma folia todo dia 6 de janeiro. Até hoje 128 anos depois, seus descendentes honram seu compromisso sagrado. Atualmente o seu bisneto Miguel figueiredo, na 4ª geração é o “imperador” (comandante, capitão, regente).

SOBRE WALDECIR GUIMARÃES
Artista plástico e professor de artes plásticas, Waldecir é autodidata, com trabalhos reconhecidos e premiados no Norte de Minas e em todo Brasil retratando a cultura barranqueira e as paisagens regionais.

SERVIÇO
Sesc nas Festas Populares - Januária
Data:
24 e 25 de outubro de 2019      
Hora: conforme programação
Local: conforme programação
Participação gratuita

Informações para o público: (38) 3629-4950