Web Content Viewer (JSR 286)

Ações
Carregando...

Central de notícias

|

Conheça os artistas do 'Piquenique Cultural'

Artistas selecionados pelo 'Sesc Fomenta Cultura' integram a programação de aniversário de 70 anos do Sesc
Publicado em 01/09/2016 às 17:31Atualizado em 01/09/2016 às 18:07

Priscilla Ázara

Em 18/9 (domingo), o Sesc celebra, em Belo Horizonte, 70 anos de transformação na vida dos brasileiros. Das 12h às 18h, o Parque Municipal Américo Renné Giannetti sediará o aniversário do Sesc em uma grande comemoração: um piquenique cultural recheado de atrações circenses e teatrais, contação de histórias e o melhor da música popular brasileira.

Além dos grandes nomes da nossa música que subirão ao palco – João Bosco e Vitor Ramil com Marcos Suzano –, três atrações musicais selecionadas entre os 425 inscritos da iniciativa Sesc Fomenta Cultura fazem parte da programação de aniversário do Sesc. O Conjunto Isto é Nosso vem se destacando no cenário de Belo Horizonte por cultivar a maneira peculiar de executar o choro, em que os violões de sete e seis cordas dialogam em contrapontos e, junto ao ritmo do cavaquinho e do pandeiro, formam a base perfeita para que o bandolim e a flauta solem a melodia. No repertório, o conjunto também rende homenagens aos grandes mestres, como Pixinguinha e Jacob do Bandolim.

A singular Orquestra de Choro Campineira une a formação tradicional do choro a das gafieiras. Composta por profissionais que se destacam no cenário instrumental e desenvolvem importantes pesquisas relacionadas ao desenvolvimento da música brasileira, a orquestra tem se apresentado em palcos de grandes eventos, como o Festival de Inverno de Campos do Jordão e o Festival Grandes Bandas. Suas obras são rearranjadas coletivamente, criando espaço para que todos os instrumentos sejam igualmente valorizados e levando aos palcos um formato dançante e rico em linguagens brasileiras.

O Duo Finlandia é um projeto formado pelo brasileiro Raphael Evangelista e pelo argentino Mauricio Candussi, que levam ao palco uma fusão de ritmos sul-americanos focados em sonoridades pouco conhecidas fora de seus países de origem, como o Huayno, Saya, Baião, Candombe e, claro, os tradicionais: tango e bossa-nova. Tudo isso mesclado a elementos contemporâneos tocados ao vivo com violoncelo, acordeão, teclado, sons eletrônicos que passeiam por ambientes instrumentais e com coros de vozes.

Atrações culturais
O Sesc Fomenta Cultura também selecionou artistas de teatro e de contação de histórias para integrar a programação do Piquenique Cultural. O Grupo Girino, coletivo de artistas que pesquisa as técnicas e linguagens do Teatro de Bonecos e Animação, foi fundado em 2006 e desenvolve pesquisas da relação do ator com bonecos, sombras, vídeos e teatro em miniatura.

Composto por artistas de diversas formações que trabalham com pesquisa e experimentação do Teatro de Animação, o Grupo Aldeia já participou de diversos projetos importantes da área de educação, estimulando a paixão das crianças pelos livros. Indicado para diversos prêmios na área de artes cênicas, atualmente apresenta seu repertório artístico por meio de espetáculos, oficinas, CDs e livros destinados ao público de todas as idades.

Jhê Delacroix é formada em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense, além de ballet clássico, jazz, dança de rua, sapateado, dança moderna e contemporânea. Participou de diversos cursos de artes cênicas, cantou no Bloco do Moreré e no projeto autoral Começo, fim e meio. A artista participou da Virada Cultural de 2013 e do Carnaval de 2014 de Belo Horizonte. Atualmente, Jhê Delacroix atua como contadora de histórias, ilustradora e designer na Editora Aletria.

Intervenções circenses
Também estão na programação diversas intervenções circenses com a Cia El Individuo e com Rodrigo Robleño. A Cia El Individuo desenvolve uma pesquisa de atuação baseada nas manifestações cênicas oriundas da linguagem do circo e do palhaço, realizando permanentes pesquisas sobre a arte sob a lona e em espaços públicos. Já passou pela Argentina, Chile, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guianas e Uruguai. Os integrantes da companhia participam ativamente do Coletivo de Palhaços de BH e do Movimento Mineiro de Circo.

Rodrigo Robleño, mais conhecido como palhaço Viralata, começou sua carreira aos 12 anos de idade e seguiu seu caminho artístico para o teatro de rua, circo-teatro, bonecos e palhaço. Carrega na bagagem experiências com o Cirque du Soleil, no espetáculo Varekai, e o Grupo Armatrux, com teatro e vídeos educativos. Além disso, escreve roteiros para teatro, curta-metragens e TV.

Prepare a cesta, reúna a família e venha comemorar os 70 anos do Sesc!

  1.