Web Content Viewer (JSR 286)

Ações
Carregando...

Central de notícias

|

Tesouros do Sesc: família Figueiredo

No Sesc em Uberlândia, os irmãos João e Pedro encontraram apoio para superar mudanças difíceis, após a perda da mãe.
Publicado em 29/10/2015 às 08:31Atualizado em 29/10/2015 às 12:24

A adolescência é uma fase que marca a transição da infância para a vida adulta, muitas vezes cercada de questionamentos e mudanças. Para os irmãos João Marcos, de 14 anos, e Pedro Henrique Figueiredo, de 13, esse período passou a ser ainda mais intenso. Em julho de 2014, eles perderam a mãe por causa de um câncer cerebral, que se manifestou após anos de luta contra a mesma doença na mama.

(Crédito: Adriano Hamaguchi Gonçalves)

Os jovens moravam com ela em Prata, a 100 Km da residência do pai, Marcos Portela Figueiredo, que havia se mudado para Uberlândia. Para minimizar as perdas sofridas, ele optou por deixá-los no município em que residiam com a tia materna até o término do ano letivo e visitava-os a cada 15 dias. Em dezembro de 2014, os dois saíram da cidade que cresceram e foram morar com o pai, em um processo que incluía adaptação a nova escola, novos amigos, uma rotina e um lar diferentes.

Lidar com a ausência da mãe era realmente difícil. O mais velho não ia tão bem na escola e o caçula ficou 11 quilos acima do peso. Percebendo a situação, Marcos encontrou na vizinhança a oportunidade que precisava: ele mora bem perto do Sesc Uberlândia e decidiu matricular os jovens nas atividades de esporte e cultura. “Antes estava preocupado por não conseguir dedicar muito tempo aos meus filhos e o Sesc foi importante para nós. Sentamos juntos e escolhemos as atividades que eles mais se identificavam, pois queria ocupar o tempo deles com algo que contribuísse para o desenvolvimento escolar, bem-estar e saúde dos dois”, conta.

(Crédito: Adriano Hamaguchi Gonçalves)

Hoje, os garotos são conhecidos como “os moradores do Sesc”. Estudam no período da manhã em uma escola adotada pela instituição, mas à tarde a presença deles é garantida na unidade. Praticam futsal, basquete, natação e estudam juntos na biblioteca. Pedro Henrique também aprende mais sobre a música nas aulas de violão. O resultado desse movimento é perceptível, uma vez que eles melhoraram o desempenho escolar, estão mais dispostos fisicamente, mentalmente e já fizeram novas amizades.

A família Figueiredo conseguiu mudar a própria história com força e superação e é um dos #tesourosdosesc. Conhece alguém assim? Então nos mande o mapa!

Se você conhece a história de alguém que viveu uma experiência transformadora depois que conheceu o Sesc, conte essa história! Envie texto e foto para tesouros@sescmg.com.br. Sua experiência pode virar mais uma pedra preciosa em nosso baú de tesouros.

  1.