Web Content Viewer (JSR 286)

Ações
Carregando...

Central de notícias

|

Tesouros do Sesc: Rosina Sanchez Martins

Descubra a história dessa escritora de 85 anos que, aos 73, publicou seu primeiro livro com a ajuda do Sesc.
Publicado em 27/11/2015 às 09:31Atualizado em 27/11/2015 às 09:31

Rosina Sanchez Martins é professora por vocação. Trabalhou por 25 anos na rede pública e passou a paixão do ensino para dois de seus três filhos. Mesmo aposentada, a senhora de 85 anos continua dando verdadeiras lições de vida.

Há quase 20 anos, Rosina descobriu o Sesc Uberlândia. O interesse dela era distrair o marido, Benedito Roberto, que lutava contra o Alzheimer. Depois da morte de Benedito em 1997, Rosina continuou frequentando a unidade e descobriu, nas atividades e nos novos amigos, a força que a ajudaria superar esse momento difícil.

Na época de luto, Rosina se voltou também às palavras, paixão que descobriu em sua época como bibliotecária. Leitora assídua de Fernando Sabino, Zíbia Gasparetto e Cecília Meireles, ela não abandona o tom professoral ao reforçar a importância dos clássicos. “Às vezes, me perco dentro da história. Também gosto muito dos clássicos, como Machado do Assis. Os clássicos fazem parte da nossa história, e merecem ser lidos e relidos.”

O sentimento de Rosina pelas palavras, e sua vontade de superar a dor da perda, guiaram suas mãos pelo caminho das histórias. Aos mais de 70 anos, ela se descobria escritora, e das boas. Tanto que, em 2003, comemorou o lançamento de sua primeira publicação: o conto O Pequeno Jornaleiro, uma das histórias selecionadas para integrar a coletânea Saboreando Palavras, iniciativa do Sesc Uberlândia. “Essa foi uma história baseada na vida de Vicente Militão, um colega de escola do meu tempo de criança. Aos 8 anos, Vicente estudava e trabalhava como entregador de jornal para ajudar no sustento de seus seis irmãos. Na ocasião da visita de Getúlio Vargas a Araxá, cidade onde nascemos, Vicente conseguiu, com muito custo, falar com o presidente. Contou sobre a sua história e lhe entregou um jornal e uma maçã. A partir desse dia, a vida de Vicente mudou”, conta Rosina, permitindo uma pequena prévia de seu conto. “Para saber mais, é preciso ler o livro”, brinca.

O Saboreando Palavras teve mais duas edições e Rosina participou de todas. “As pessoas acham que a gente vai ficar esgotado ao fazer um projeto longo ou trabalhoso, mas eu digo que tem sido tudo muito revigorante. É uma realização como pessoa, como profissional, como ser humano. A gente tem a oportunidade de contar algo que merece ser contado.”

Ela, que participa das atividades do Sesc + Grupos: Idosos, carinhosamente chamado de Os Mais Vividos do Sesc Uberlândia, também pratica esportes e dança catira, uma dança folclórica brasileira. “Fazemos de tudo para que nossas apresentações fiquem mais atrativas para as novas gerações. Cabe a elas perpetuar nossas raízes culturais. Um país que não cultiva suas raízes é um país sem futuro”, enfatiza.

Sobre a participação do Sesc na sua vida, ela finaliza: “o Sesc tem me ajudado a viver com dignidade e me fez redescobrir a vontade de viver. Hoje, depois de tanta tristeza, estou feliz. O Sesc é a extensão da minha família”.

SOBRE O SABOREANDO PALAVRAS

Com objetivo de incentivar a produção artística, o Sesc criou, em 2003, a iniciativa “Saboreando Palavras”, uma coletânea dos melhores trabalhos inscritos no Concurso de Literatura e Artes Gráficas, promovido pelo Sesc Uberlândia. De lá pra cá, já foram lançadas três edições do livro, contendo contos e poesias de pessoas com mais de 50 anos, e ilustrações de pessoas com mais de 18. A intenção é promover um encontro artístico de gerações, estabelecendo um intercâmbio entre a literatura e as artes plásticas. As obras, sem fins lucrativos e de temática livre, podem ser encontradas em bibliotecas do Sesc em todo Estado.

Rosina é um dos #tesourosdosesc. Conhece alguém assim? Então nos mande o mapa!

Se você conhece a história de alguém que viveu uma experiência transformadora depois que conheceu o Sesc, conte essa história! Envie texto e foto para tesouros@sescmg.com.br. Sua experiência pode virar mais uma pedra preciosa em nosso baú de tesouros.​

 

  1.